O sonho de trabalhar Home-Office

Fala meus queridos, quem ai já teve o sonho de trabalhar em casa? Eu já tive e hoje trabalho nesta modalidade. É bom? É ruim? Vale a pena? Cuidados que devo ter? Como devo me policiar?

Ambiente de Trabalho

O ambiente em si não tem segredo desde que tenha um computador e uma internet funcional, mas os segredos estão nos mínimos detalhes. Não é porque trabalha em casa que precisa trabalhar de cueca deitado no sofá (não que não possa), mas se ambientar como se estivesse na matriz da empresa e proporcionar a experiência de uma estação de trabalho com seu PC, garrafinha de água, fones de ouvido, caderno e caneta.
Ambiente quieto e com privacidade ajudam bastante pensar, organizar ideias e participar de reuniões.

Uma das coisas que afetam muitos que atuam nesta modalidade é o fato de que apesar de estar em casa, precisa ter a noção que está trabalhando e não fazendo um trabalho da faculdade. O mesmo vale para familiares que acham que está passando muito tempo no quarto sozinho (sem maldade). Por este motivo alguns profissionais acabam optando por trabalhar em um Co-Working (espaço compartilhado de trabalho) por um custo bem reduzido na qual tem sua estação de trabalho.

Organização Pessoal

É sempre bom ter o seu dia planejado, suas tarefas e metas diárias. Ter tudo em ordem antes de começar a trabalhar e ao terminar já deixar tudo pronto para o dia seguinte. Lembre-se você é o dono e único responsável pelo seu escritório, não haverá a “Tia da Limpeza” antes de você chegar ao trabalho. Costumo fazer um checklist do que pretendo fazer naquela semana em tópicos macros e ao decorrer de cada dia vou detalhando cada um deixando de forma que eu consiga fazer entregas menores durante a semana.

Inicio o dia normalmente vendo os e-mails e mensagens do dia anterior (pós 18 hrs) e respondo todas na qual tenho domínio e as que não já direciono para quem precisa. Seguindo está linha já defino entregas para antes do almoço e antes de fechar o dia (12 hrs – 18 hrs) e no final do dia separo 30 minutos para organizar as tarefas do dia seguinte e enviar um status report ao meu “Chefe”.

Horários e suas Flexibilidades

Como tudo na vida há o lado bom e o lado ruim desta flexibilidade de horário. Primeiro ponto e mais primordial é que você precisa cumprir sua carga horária seja 8 hrs / dia ou 40 hrs / semana. Partindo deste princípio, os dias que acordar mais tarde, tiver algum compromisso, extender um pouco mais o almoço ou qualquer outra coisa do gênero, poderá facilmente compensar até mesmo no próprio dia.
Cuidado básico é não fazer a exceção se tornar a regra, acordar tarde todo dia, fazer 3 horas de almoço e por ai vai.

Pensando no lado positivo, pode muito bem adiantar o trabalho em horários alternativos, não tem o gasto de tempo com transporte, possui o conforto que você mesmo se propôs a ter, pode praticar atividade física tranquilamente e não se atrasar para o trabalho ou até mesmo ir academia em horários mais vazios, durante horário de almoço ou café pode fazer uma pausa de X minutos ver TV ou jogar um video game, pode ouvir música no volume que desejar (talvez) e por ai vai… Lembrando que está em casa, porém trabalhando.

Modalidades (FullTime x PartTime x Weekly)

Full-time: Este é quando trabalha 100% do tempo de casa remotamente, tendo que visitar a matriz raríssimas vezes e a maioria das reuniões são via Web Call (skype, zoom, slack, hangouts, webex, …) . Muito comum para clientes internacionais.

Part-time: Quando a carga horária é dividida já em contrato onde X horas da sua semana de trabalho será executada de casa (Ex.: Seg – Sex). Regiões com muito tráfego aos finais de semana como litoral ou interior oferecem tais benefícios para evitar atraso e acumulo de tempo de locomoção ao trabalho.

Weekly: Algumas poucas empresas ainda na tentativa de experimentar esta modalidade de trabalho dão como benefício para o funcionário um dia de home-office, normalmente acordado já em contrato e líder do projeto e equipe (lembrando de home-office não é o mesmo que day-off).

Cuidados

Neste ponto eu poderia escrever todo um post apenas sobre os cuidados em trabalhar home, mas vou me limitar aos pontos que mais me prejudicaram no início ao trabalhar home. Um deles foi não ter hora para começar e nem terminar, pela necessidade do projeto e por falta de gente eu acordava as 7 da manhã, raras vezes almoçava (tempo passava que eu nem via) e terminava meia noite completamente esgotado. Depois de alguns meses fazendo isso na qual estava prejudicando fortemente minha vida pessoal, profissional e a saúde tive que regular os horários como se estivesse no escritório, com horário para levantar, almoçar e parar (até as pausas café).

Tenha organização máxima do que faz, fez ou virá a fazer, pois a visão externa de quem nos vê trabalhando home, acha que ficamos vendo TV o dia inteiro. Não posso generalizar, mas falarei por minha pessoa e esta fantasia não existe. De qualquer forma a cobrança será dobrada, pois precisa comprovar que está trabalhando e que o mesmo está rendendo como deveria.

Considerações

Não é a mina de ouro que talvez buscavam, porém venho humildemente compartilhar um pouco da minha experiência de como é trabalhar home-office. Pode ser ótimo para uns, péssimos para outros, mas como tudo na vida não há a solução perfeita para todos, precisa se adaptar, mudar sua rotina, se organizar e planejar para conseguir levar tudo da melhor forma possível e que afinal lhe traga algum benefício (seja saúde, profissional, carreira, …)

Abraço galera!

A riqueza de um status review

O que é um status review? Ou revisão de status? Ou task report? O nome pode variar conforme o locutor, mas a definição é o propósito é o mesmo.

Status Review é um resumo daquilo que você ou sua equipe estão fazendo, pretendem fazer ou já fizeram. Mas com tantas ferramentas, métricas e metodologias por que eu tenho que saber ou fazer isto? Não precisa! Ninguém vai colocar uma arma na sua cabeça enquanto toma o seu cafezinho e te obrigar a falar como está a situação do seu projeto/tarefa. Porém caso o seu diretor/cliente te encontre no elevador e te pergunte meio que pretensiosamente como está o andamento do seu projeto, como seria sua resposta?

Está bom, estamos indo bem!

Acho que vamos conseguir entregar!

A minha parte está feita!

Para um gestor ou alguém de negócios a qualidade da informação tem um peso muito grande, independentemente de qual metodologia de projeto utiliza. Como por exemplo:

Segundo as nossas reuniões de equipe, posso dizer que temos um volume considerável de funcionalidades entregues e já homologadas pelo cliente, na qual tivemos um feedback bem positivo. Inclusive do que foi entregue tivemos poucos problemas e já estamos trabalhando em paralelo nas melhorias de algumas coisas. Quanto ao prazo não sei dizer, já que quem coordena a entrega é o meu Gestor, mas garanto que estamos indo bem.

Consegue perceber o mesmo “Estamos indo bem” com diferentes pesos? No exemplo acima você fala que está tudo bem dando um embasamento o porque acha que está tudo bem, não se compromete com prazos, direciona o questionamento para o seu Gestor, mas mostra o quão envolvido com o projeto está. Neste exemplo obviamente estamos trabalhando com o mundo perfeito onde tudo está OKAY, mas a ideia é esta.

Caso encontre dificuldades, questione o seu líder sobre status das tarefas, andamento do projeto e se ele perguntar o por que, diga que quer saber o como está o andamento e quer se sentir envolvido. Nada melhor do que trabalhar com objetivos, saber o que fez, o que está fazendo, quando terminar tarefa atual qual será o próximo e obviamente o porque está fazendo aquilo. Dentre toda minha experiência profissional não me vi fazendo algo simplesmente porque alguém pediu, aquilo precisava me fazer sentido, eu tinha a necessidade de saber o propósito por trás para poder me dedicar, propor melhorias e ter uma melhor noção de tempo baseado na dificuldade e complexidade do negócio.

Fica a dica, não espere que alguém faça isso por você. Se organize, crie suas prioridades e sempre se mantenha informado. Um bom líder não é aquele que tem um cronograma que diz o que cada um deveria estar fazendo ou não. Um bom líder faz o time dele saber o propósito pelo qual lutam, deixam todos a par do que está acontecendo, treina e capacita todos para serem os próximos líderes.

Espero ter ajudado! Dúvidas, críticas e sugestões são muito bem vindas!!

O segredo para um Planejamento assertivo

Fala meus queridos, já adianto que se veio aqui atrás do segredo do sucesso, bom isso não vai rolar. Porém posso te adiantar que as dicas a seguir irão te ajudar muito já o segredo de um bom planejamento e organização é se conhecer. Dito isso vamos ao que importa!

Primeiro Passo: Conheça suas limitações, saiba o que pode fazer, quando pode fazer, quanto pode entregar e qual a sua capacidade produtiva.

Pode parecer difícil a primeira vista, mas vamos a um exemplo prático: Digamos que sua capacidade produtiva são de 8 hrs por dia, consegue entregar 1 tarefa (desde que tenha foco total) dentro do seu timing, levando em consideração que produz 1 tarefa em 8 hrs sua entrega será no dia seguinte, correto? Até aqui está fácil, pois só temos uma única tarefa sem peso de dificuldade.
Agora vamos complicar um pouco, seu projeto tem 10 tarefas com pesos distintos, você tem apenas a data final de entrega, algumas tarefas podem ser compartilhadas ou delegas a outra pessoa e no meio deste projeto foram assinaladas para você tarefas de outro projeto que andam em paralelo com o atual. E agora? Senta e chora? Pede arrego?

Segundo Passo: Aprenda dizer não e com razão!

Seguindo a linha do Primeiro Passo, devemos avaliar os risco baseado na nossa análise inicial. Digamos que atingiu o seu limite produtivo e trabalhar horas extras não é uma opção até porque nem sempre recebemos por isso. Entenda que esforço extra é o mesmo que mal planejamento, ninguém planeja uma entrega antecipada fazendo as pessoas trabalharem mais, felizes e motivadas. Se isso acontecer pode ter certeza que seu chefe virá te pedir um favorzinho.
Enfim, sabendo da sua limitação e considerando que já se planejou para saber quando estará livre para pegar outra tarefa ou quando conseguirá entregar suas tarefas, repasse isso para o seu superior. Quem deverá tomar a ação de contratar mais pessoas, prorrogar prazos ou qualquer outra ação é ele. O seu papel é expor os riscos de fazer algo correndo e tocar em paralelo diversas tarefas.
Não tenha medo de dizer “Não, não posso, não é possível” desde que tenha argumentos válidos que embasem suas palavras, e expor riscos é a melhor delas, pois ninguém quer assumir risco previamente sinalizado.

Terceiro Passo: Organização é tudo.

Este passo deveria ser Zero, aquele antes de tudo, mas só lembrei agora. Organização é ponto chave para um bom planejamento. Ideal que se mantenha organizado desde antes de iniciar algo até o seu término. Pois qualquer coisa que sai do seu planejamento (mundo perfeito), saberá imediatamente que deve tomar alguma ação: seja se replanejar, pedir ajuda, negociar prazo e sim imprevistos acontecem! Contudo, uma pessoa organizada e bem planejada consegue lidar com eles facilmente.

Normalmente antes de iniciar qualquer projeto / tarefa, já nas reuniões sempre anoto tudo o que posso e acho que vai ser útil futuramente, com isso já tenho uma visão do que devo me preocupar, quem devo envolver, onde devo buscar material e depois da pesquisa já consigo levantar os risco futuros.

Em seguida, uma vez que eu já tenha feito a lição de casa, consigo dizer qual a capacidade produtiva do meu time e independente do cronograma já estipulado pelo meu chefe, consigo dizer se conseguimos entregar ou não. E caso venha me pedir algo que estava fora do planejado, não vou dizer que sim para agradá-lo, vou dizer que não é possível e explicar que para fazer o que ele pediu algo irá atrasar.

Mantenha o time ou as pessoas envolvidas sempre a par do que acontece, do seu planejamento, estimule (sem obrigar) esse tipo de organização, pois um dia da sua ausência o projeto não pode parar e quanto mais pessoas tiverem o conhecimento mínimo de como as coisas devem caminha melhor, ou sempre aproveitarão da sua ausência para pedir um favorzinho aqui e ali.

Quem sabe num post futuro colocamos algumas ferramentas que possam te ajudar com planejamento, desde um to-do lista até gerenciamento de tarefas / time e projeto.

Como montar um plano de estudos?

Hoje iremos abordar um tema importante para você (assim como eu) que está em constante aprendizado, como se organizar e montar um plano de estudos de forma que consigamos seguir a risca?! Para isso vamos dividir o assunto em 3 pontos:
– Interesse;
– Objetivo;
– Comprometimento.

Qual o seu interesse no tema escolhido para estudo?

Ao escolher o tema de estudo, seja técnico, didático, financeiro ou qualquer outro do seu interesse. É interessante qualificar o seu nível de interesse, não necessariamente motivação, as vezes pode estar relacionado à uma necessidade momentânea, mas nem sempre é o que gostaria de estar estudando naquele momento.

Como qualificar seu nível de interesse? Normalmente a resposta desta pergunta está alinhada como objetivo a ser atingido, quais benefícios palpáveis a conclusão deste estudo te trará a curto prazo?

Isto é importante saber, pois quando maior o nível de interesse, maior vai ser sua dedicação / comprometimento, vai ter maior nível de absorção do tema e terá menos chances de interrupção. Pense nisso!

Defina seu objetivo inicial (META)!

Uma vez que o tema foi escolhido, preciso definir metas para que seja possível concretizar o conhecimento ainda recente em sua mente. Ao definir uma meta/objetivo ao concluir seu cérebro gera uma sensação de recompensa fazendo com que aquilo seja ainda mais prazeroso para você.

Digamos que está estudando sobre finanças / economia básica e seu objetivo é conseguir organizar seus gastos mensais para provisionar férias futuras. Ou está estudando uma linguagem de programação para fazer um sistema de cadastro / estoque ou app de celular. Ou quero terminar este curso de 40 horas em 2 dias. Por ai vai e o importante é que se aplica a quase tudo.

Quando definimos um objetivo é interessante que ele seja alcançável ou isto te deixará com uma sensação de frustração, fazendo com que perca vontade e animo de continuar estudando.

Quão comprometido está?

É lindo dizer que vai começar estudar algo, mas quando realmente vai? Hoje? Agora? Próxima semana? Com quem? Sozinho? Já pesquisou o conteúdo? E depois vai fazer o que?

Imagina se ao dizer que está afim de aprender algo novo, um colega te rebate fazendo este monte de perguntas, saberia responder de imediato? Talvez sim, ou não quem sabe… Cada um tem seu “Q” de genialidade, mas vamos supor que a resposta seja não.

Bom, partindo desde princípio precisamos nos organizar e definir o nosso comprometimento com o estudo em questão e como fazer isso? Para facilitar a abstração vou dividir novamente em tópicos:
– Em quanto tempo quero terminar os meus estudos?
– Qual o tempo que disponho para estudar?
– Definido tempo de término e tempo dedicado (frequência), assinar um compromisso de seguir este planejamento.

Por exemplo, pegou um curso online com carga horária de 40 horas. Se tiver 8 horas diárias para se dedicar ao curso, em uma semana terminaria os estudos, correto? Em tese sim, mas na prática não dispomos de tal tempo livre. Uma técnica que uso é quantificar meu tempo na semana, pois desta forma caso não consiga cumprir minha carga horária de estudos em dia posso compensar em outro. Como isto funciona? Eu separo 10 horas de estudo por semana, algo em torno de 2 horas por dia de segunda a sexta. Porém caso eu tenha algum imprevisto familiar ou trabalho, posso compensar as horas no final de semana, contanto que o Mindset deve ser claro: “Devo cumprir as 10 horas de estudo semana, na qual me comprometi em fazer”.

Seguindo o exemplo acima, se eu tenho 10 horas de compromisso estudo e curso que escolhi tem carga horária de 40 horas, posso dizer que devo terminar no máximo em 1 mês. Logicamente o meu próximo curso só estarei disponível para estudar daqui 1 mês. Ou caso tenha maturidade suficiente para fazer estudar dois assuntos paralelos e dividir seu tempo em temas distintos fica a seu critério.

Por hora é isso pessoal, espero ter ajudado, nos vemos no próximo post!

Como procurar o primeiro emprego na área de TI?

Depois de entrarmos na faculdade, logo surge a vontade de ingressar na área, mas ai bate a seguinte dúvida: “onde vou encontrar um emprego sem ter a mínima experiência?”

Existem vários sites e comunidades onde vagas são postadas e é sobre isto que se trata o post de hoje, então vamos lá!

APinfowww.apinfo.com/apinfo
O APinfo é um banco de curriculum de profissionais de tecnologia, cadastre seu curriculum e pesquise por vagas que atendam seus requisitos, várias vagas são postadas diariamente!

Linkedinwww.linkedin.com
Caso não conheça o Linkedin, é uma rede social com foco profissional, onde muitos recrutadores estão presentes para captar talentos, então crie um perfil profissional!
Adicione recrutadores e pergunte se não teria uma oportunidade disponível, não tenha vergonha.

GeekHunterwww.geekhunter.com.br
A Geek Hunter é uma plataforma especialista em match de desenvolvedores x empresas. Possui uma interface bem moderna e vem com várias ideias legais, também possuem testes técnicos para os candidatos comprovarem seu nível de conhecimento assim facilitando a busca para os recrutadores,
a sacada é muito boa, pois mesmo não tendo experiência é possível comprovar o seu conhecimento .

StackOverflowwww.stackoverflow.com/jobs
O StackOverflow além de ser uma das maiores comunidades de perguntas e respostas, possui uma área para divulgação de vagas, desde vagas nacionais e internacionais! Vale a pena dar uma conferida 😉

Seja cara de pau e peça indicações! Seja para seu professor de faculdade ou um amigo que está trabalhando e pergunte se eles não sabem de alguma vaga. Participe de hackathons e eventos de TI para fazer networking e caso sua faculdade participe da maratona SBC de programação, caia de cabeça pois é uma grande oportunidade para ganhar visibilidade.

Fique de olho nas grandes empresas, pois muitas aderem aos programas de trainee, então não deixe de perder o período de inscrições.

Por último, estude e procure fazer cursos por fora, porém não faça qualquer curso, procure feedbacks sobre os instrutores e o conteúdo do curso. O conhecimento / experiência não se limita apenas ao que é te fornecido durante o período de trabalho. Há muitos profissionais certificados que não sabem fazer uma linha de código na prática, assim como há muitos arquitetos que nem faculdade fizeram. Aproveite as ferramentas e material que hoje estão para te ajudar e faça a diferença!

Lembrem-se as oportunidades só aparecem para quem corre atrás!

Onde devo buscar material de apoio?

Por impulso natural temos a tendência de jogar no Google nossas dúvidas de forma desordenada, seja um erro qualquer, uma palavra chave, um trecho código, uma instrução SQL ou algo do gênero. E não estamos errados em fazer isso, pois sempre antes de pedir um apoio de alguém mais experiente (trabalho) é interessante limitar suas alternativas. Mas e quando estamos em casa, ou na faculdade, ou na casa de um amigo, para onde devemos correr quando se vemos sem um ponto de apoio?

Costumo dizer que antes de sair por ai disparando tiros para todos os lados esperando alguém te socorrer, precisa antes de tudo mesmo se situar. O que seria isso? Bom, vamos por partes:

Qual o meu problema? (Neste ponto precisa entender o que é o seu problema, como chegou nele, os passos que seguiu para chegar até onde chegou)

Qual deveria ser o resultado esperado? (Aqui precisa ter bem claro o que você pretendia antes de começar o passo acima, pois muitas das vezes revendo o caminho que trilho, sozinho percebe onde errou ou no meu caso uma forma até mais simples de executar aquela tarefa)

Como explicar isso para uma pessoa de fora / externa ao meu problema de uma forma clara e que ela entenda? (Este é o mais difícil, nem o mais experiente dos arquitetos consegue fazer isso sempre, mas não nos impede de tentar, nem que tenhamos que fazer mimica ou desenhar)

Com isso em mãos, podemos facilmente ir no Google, Foruns sobre o assunto, perguntar aos colegas de trabalho, cursos sobre o assunto em questão uma vez que já entende o problema, tendo uma abstração maior do conceito na qual o engloba, cursos práticos e rápidos tendem à ajudar.

Espero ter dado uma luz, mas se veio em busca de referências, seguem algumas:

GUJ

Stackoverflow

Ultimate Courses

John Papa

Como se destacar no meio de tantos profissionais?

O mercado hoje está muito competitivo, então como fazer para se destacar? Ainda mais quando estamos no começo de nossas carreiras?

Eu vou lhe dizer jovem padawan o segredo está no foco e na força de vontade, blah, mas isso todos nós já sabemos…
Pois é, todos sabemos mas não fazemos na prática!

Estudar é fundamental para conseguir crescer em sua carreira profissional, porém hoje temos acesso a MUITO conteúdo facilmente na internet, o que muitas vezes pode acabar se tornando um problema. Pois queremos aprender de tudo um pouco e acabamos aprendo é nada de tudo!
Então quando decidimos estudar alguma coisa, temos de focar em aprender muito bem o básico antes de querer ir para o avançado. Lembre-se:
“Antes um básico bem feito, do que um avançado mal feito.”

Então defina metas, somente após atingi-las vá para a próxima, ou caso tenha começado um curso, termine antes de começar outro, senão você estará sempre se auto sabotando e aprenderá as coisas por incompleto!

Seja pró ativo, não espere que as pessoas lhe peçam para fazer algo, tome iniciativa e comece por conta própria, caso não tenha o que fazer, foque em se aprimorar, use o tempo que tem a seu favor, estude!

Outra coisa que lhe trará bons resultados é, sempre que possível, entregue mais do que é esperado, segue uma analogia sobre o clássico caso do estagiário que serve o café:
Não seja somente o estagiário que serve o café, seja o estagiário que serve o café e oferece açúcar ou adoçante!
A analogia é bem boba, porém é muito verdadeira, são pequenas coisas que fazem você se destacar entre os demais, pois você está entregando algo que os demais não, reflita!

Espero ter ajudado com estas dicas 🙂
Forte abraço!